Queda de cabelo em homens (calvície masculina)

Calvície - antes e depois do tratamento
Calvície - antes e depois do tratamento
(integração capilar)

A alopecia androgenética, ou padrão de calvície masculino (PCM), é a causa mais comum da queda de cabelo entre os homens. Ao contrário da alopecia nas mulheres, a calvície masculina (frequente e erradamente escrita "calvice") é padronizada e previsível: começa habitualmente com um recuo da linha do cabelo nas têmporas, as chamadas "entradas", que depois alastra à coroa da cabeça, dando origem a uma mancha de calvície que vai aumentando progressivamente.

É causada por uma sensibilidade genética dos folículos capilares a um tipo de hormona chamada Dihidrotestosterona (DHT), resultante da ação da enzima 5-alpha reductase sobre a testosterona, que faz encolher os folículos. Isto reduz o seu tempo de vida, e impede-os de substituir o cabelo normalmente.

Esta condição é geralmente hereditária, podendo contudo dever-se a causas hormonais específicas, que conduzem à retração dos folículos capilares. Pode ainda ser agravada por outros fatores, tais como stress ou doença, em cujo caso é possível atrasar ou reverter a queda.

É mais comum a partir dos 25 anos, mas ocorre também em homens mais jovens. A espessura, comprimento e qualidade do cabelo alteram-se gradualmente, fazendo com que o cabelo novo cresça mais fino, mais curto e mais fraco, e consequentemente menos visível. Com o decorrer do tempo fica-se com cabelo velo (parecido ao dos bebés), em vez do cabelo terminal que se tinha.

Além da hereditariedade, existem muitos fatores que podem acelerar o processo de perda, sendo por isso fundamental adotar alguns hábitos para prevenir a queda de cabelo, ou pelo menos atenuá-la. O cabelo, como qualquer parte do nosso corpo, também reflete o nosso estilo de vida.


Lidar com a calvície

Quando confrontados com a falta de cabelo, que vêem agravar-se de dia para dia, muitos homens apostam em produtos que prometem resultados rápidos, geralmente através de uma simples aplicação tópica (ampolas). Outros recorrem a mezinhas e remédios caseiros, nem sempre aconselháveis, podendo mesmo piorar a situação.

O ideal, como em qualquer questão estética ou de saúde, é consultar um especialista, neste caso um tricologista. Este pode avaliar o problema, e propor um tratamento capilar personalizado com base no tipo de cabelo, tipo de queda, caraterísticas individuais, e questões estéticas.

Quando a falta de cabelo é já demasiado extensa, ou por algum motivo é inviável recorrer outro tratamento, os atuais métodos de integração capilar são uma alternativa procurada pelos homens (e mulheres) devido às suas vantagens: é uma solução mais fácil, económica, rápida e indolor, que não requer cirurgia, anestesia, longos períodos de recuperação, ou riscos de saúde.

A queda de cabelo não é idêntica nos homens e nas mulheres, devendo ser analisada caso a caso, assim como os tratamentos a aplicar, que variam de pessoa para pessoa.


Escala de Hamilton / Norwood

A Escala de Hamilton / Norwood é utilizada para classificar a calvície masculina. Esta escala de referência identifica vários estados de falta de cabelo, que vão da falta ligeira na frente à calvície mais extensa desde a coroa da cabeça.


Escala de Hamilton / Norwood de calvície masculina

Foi criada pelo Dr. James Hamilton nos anos 50, depois revista e atualizada pelo Dr. O´Tar Norwood nos anos 70.

© 2018 Eurocabe - Instituto Europeu para Novos Cabelos
Bright - Web Agency